domingo, 21 de setembro de 2014

Não precisa de titulo

Não vou referir o teu nome por duas razões.
1- A maior parte das pessoas sabe a quem me refiro;
2- Para manter a descrição que tantas vezes me pediste.
Eu disse-te por mais que uma vez que podiamos ter escrito um romance, daqueles deprimentes de fazer concorrência ao Nicholas Sparks. E um que só por te ter a tí como protagonista já é digno de ser best-seller.
Mas vou direto ao assunto, o objetivo disto é no fundo agradecer-te. Sabes que eu deprimo com facilidade e a maior parte das vezes para alguem me fazer feliz tem que se esforçar, eu quero agradecer te por fazeres isso sem esforço nenhum, um simples sorriso teu, umas palavras, um abraço ou a tua simples companhia (que significa tanto) são motivos para por um sorriso nos meus lábios.
Obrigado por me fazeres sentir único, por teres confiado, pelas palavras e momentos, e no fundo por me teres deixado fazer parte da tua vida.
Adorei todas as vezes em que te derreteste, em que pus um sorriso, em que te consolei. Tu própria disseste que fui incansável, apenas o fui porque "quem corre por gosto não cansa", e hoje voltava a correr os quilómetros que fossem precisos. Não por desespero, não pelas recordações, não pela esperança, mas por ti e porque tu mereces, porque tudo o que és, e por tudo o que já passaste e pela grande pessoa que te vais tornar.
Tu és aquela pessoa de que apenas me posso orgulhar pela forma que encaras a vida depois de tudo o que já viste e passaste, obrigada a crescer rápido, és preocupada, persistente e teimosa como o raio.
Apanhaste o essencial da infância mas sempre com a maturidade de uma mulher, dedicada a 100% a tudo o que faz.
E agora vais te embora, perseguir o teu futuro e feliz com alguém. Isso provoca me um misto de emoções variadas entre as quais desilusão comigo próprio e orgulho, mas acima de tudo felicidade por ver que estás a fazer o que sempre disseste que farias e persegues o que queres, bem acompanhada e feliz, apenas tenho pena que deixes fazer parte do meu dia-a-dia, fico triste por deixares de fazer parte da minha rotina, rotina essa do qual eras das poucas coisas que valia a pena.
Tu seguiste em frente, e é altura de eu fazer o mesmo, só me resta desejar te a maior das sortes, e lembrar-te que vou estar sempre aqui para o que precisares tataluga.
Adoro te miuda



0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.