segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Serei uma pedra?

Serei apenas mais uma pedra atirada ao rio? Com destino determinado a chegar à foz e a depositar-se no fundo do mar?
Ou será melhor assim, saber que se vai percorrer o rio até a foz, do que não saber?
Estar perdido no desconhecido sem saber o que vai
acontecer a seguir? Tão depressa ser uma pedra no rio ou um peão numa auto-estrada.
Ou ainda mais assustador, ser dono do destino. Ter responsabilidade sobre o que me vai acontecer, ser soberano do meu próprio mundo, saber que qualquer decisão que faça não pode alterar aquilo que era suposto acontecer porque, ao fazer essa decisão estou a criar o caminho que percorro.
Eu prefiro acreditar que as decisões que faço importam porque sem elas, quem sou?
Logo prefiro acreditar que realmente as minhas decisões contam para algo, elas que fazem de mim quem sou.
Mas por mais perdido que esteja é sempre bom saber onde estou.
Por isso, serei uma pedra? Sim sou uma pedra num rio enorme, mas não sou apenas mais uma, sou uma pedra única, diferente de todas. Num rio em que se escolher mal a direcção, posso ficar encalhado e nunca ver a linda paisagem da foz.
Mas também um rio cheio de oportunidades, momentos, paisagens, altos e baixos. Descer o rio é um desafio. E quem não gosta de um bom desafio?

0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.