terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Anagapesis

Este ano cresci, amadureci, e ainda assim é impressionante como todos os textos que escrevi têm um toque de ti.
A promessa de não escrever sobre ti é impossível de cumprir por uma razão muito simples:
      Porque te amei.
      Porque, junto com tantas outras pessoas, és parte da minha história.
      Porque és parte de mim.
      E porque te encontro em todas as páginas do meu caderno...

Graças a ti perdi a fé no amor. Lutei com os meus lobos e os meus demónios. Encarei os meus erros e mandei-os à merda.
Também graças a ti aprendi que se não posso ser o poeta, então vou ser o poema.
Agradeço também por me mostrares que depois da tempestade vem a bonança, e pelo desprezo:
      tão sofrido,
      e tão educativo...
Quis-te pelo que és, mas quis-te ainda mais pelo que me fazias sentir...


Mas não te preocupes continuarás a ser parte do meu caderno, eu não arranco páginas;
E vou continuar a ter o teu desenho pregado na porta do meu quarto, pois é lá que guardo as minhas memórias;
E foste das melhores memórias deste ano, e por isso te digo: Feliz ano novo...

... mas não vais passar disso...

... de uma boa memória...


Amando-te eternamente até ontem









0 comentários:

Enviar um comentário

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.