sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Je suis Charlie

Assim que vi nas noticias soube que tinha que escrever sobre este assunto. A humanidade está cada vez mais estranha, se havia alguma coisa que tomávamos como garantido era a liberdade de expressão. Esse princípio que dizia que cada um pode dizer e criticar o que quiser sem ser repudiado ou perseguido por isso.
Há uma passagem no Corão que diz:














Então expliquem-me qual foi o objetivo desta tragédia? Matar a Charlie Hebdo? Acabar com a liberdade de expressão? Enviar uma mensagem?
Charlie Hebdo é mais que um jornal com imagens engraçadas, Charlie é um ideal, e os ideais não morrem e aquele atentado é a prova disso...
Um ideal de "liberté", são eles os primeiros a criticar aquilo que consideram errado e a expressar a sua opinião na sua forma mais discreta: a sátira.
Mas depois do ataque Charlie tornou-se ainda mais que isso, depois do ataque Charlie passou a personificar todos os humoristas, jornalistas, repórteres, escritores e todos aqueles que usam a sua liberdade de expressão.
Os ideais não morrem e alguém há de tomar o testemunho, porque a humanidade tem muitos problemas mas fico orgulhoso de ser parte de uma humanidade que está a apoiar e se esforça em não deixar Charlie Hebdo cair no anonimato.

3 homens pintaram aquele dia de vermelho e preto para tentar enviar uma mensagem.


E a humanidade respondeu à medida...


... Je suis Charlie...


... Tu es Charlie...


...Tout le monde est Charlie...


... Et nous sommes libres...


















quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

- Não sei... - Detalhes meu amigo, detalhes...


Nunca soube...

Tanta coisa... que eu não sei.

Não sei a beleza da aurora boreal. Não sei se o mundo acaba amanhã, ou até hoje. Não sei se o mundo é justo. Não sei o que Deus exige ou se Ele existe. Não sei se posso cumprir tudo o que prometi. Não sei quem será (ou quem foi) o amor da minha vida. Não sei o quão frágil sou ou qual é o ponto de ruptura. Não se já caí o suficiente ou se vou ter que cair mais. Não sei se alguma vez fui amado por alguém. Não sei se vou ver o nascer do sol amanhã. Não sei se te olhe nos olhos para não me ver refletido neles. Não sei a cor da tua roupa interior. Não sei se acabarei sozinho. Não sei se pinte a vida em tons de azul ou cinzento. Não sei se deixe alguém pintá-la comigo. Não sei o que é sexo. Não sei continuar em frente. Não sei ficar parado. Não sei o que é o amanhã. Não sei se escrevo alguma coisa de jeito...

Mas isto são tudo pontas a limar, pois é aí que se encontra a beleza da vida...

... é no desconhecido...


... e nos detalhes...





Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.