sexta-feira, 14 de agosto de 2015

De: mim. Às horas menos adequadas

Tenho um dedo no botão "enviar", se o largar o destinatário receberá uma mensagem no telemovel com apenas duas palavras, duas palavras que repito todos os dias. Essas palavras separadas não são nada de especial, sao apenas... palavras. Secas, banais, insonsas. Mas quando se juntam fazem um dos maiores, mais intensos e mais queridos desejos que um ser pode querer a outro.
Mas nao sei se largue o botão, até uma expressão como esta pode tornar se chata, enjoativa ou, no pior dos cenários, repulsiva se repetida até à exaustão pela pessoa errada.
Sinceramente só quero mostrar ao destinatário que me recordo da sua imagem todas as noites, e no fundo até quero que seja recíproco, mas sei que sou a pessoa errada e causar repulsão com a ideia de desespero é a pior sensação para qualquer pessoa que tenha qualquer tipo de laço emocional com outra.
A ideia de desespero é agonizante para os dois lados, para quem procura pois sente que aquela pessoa ja não sente qualquer tipo de atração ou carinho por ela, até pode não ser verdade, mas o beneficio da dúvida não se aplica e parte se logo para a conclusão mais precipitada e, por consequência, a pior. Para a parte que é procurada para além do possivel sentimento de desconforto e constrangimento de sabermos que há uma pessoa que nos procura e que nos quer tanto e nós não queremos dar o mesmo tanto de volta há ainda o sentimento de que se se é a ultima escolha, pois se aquela pessoa está desesperada quer dizer que já gastou todas as outras primeiras hipóteses até chegar a mim, e ninguem gosta de ser segunda escolha quanto mais a última.
Mas talvez se eu deixar na caixa de mensagens aquelas duas palavras hoje, talvez num outro dia, ela pense, "todos os dias ele me lembra que se lembra de mim". E só o facto de aquelas palavras a levarem a lembrar se de mim naqueles segundos possam valer a pena. Ou então passo pelo papel de stalker desesperado, ou ainda, na pior das hipóteses passo despercebido e ignorado.
Oh pah que se lixe, só se vive uma vez e essas tretas todas, quem não arrisca não petisca certo? 

- e larguei o botão

Lá vai um sms com as duas palavras que me assombram, anseiam e me fazem questionar se fiz bem ou cometi um erro. São só duas palavras é certo. Mas são duas que podem acabar com o ultimo fio de uma relaçao ou fortalecer o mais fraco afeto.


- Eu: "Boa noite"






quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Só quero ser bebé

Se pudesse era bebé para sempre.
Os bebés para além de serem incrivelmente adoráveis, são seres cruéis, egoístas, egocentricos e manipuladores que se aproveitam disso.
Adorava ser bebé por várias razões simples e obvias:
Para além das minhas preocupações passarem apenas por dormir, comer e brincar (os quais nem tenho que saber fazer porque haverá sempre algum otário disposto a fazê-lo por mim), se quero alguma coisa podes apostar que a quero JÁ!!
Se não me a deres vou gritar como se estivessemos num filme do Hitchcock, muito simples.
E o melhor de tudo:
Qualquer zanga ou culpa que ponham em cima de mim dura no máximo 10 minutos porque eu sou adorável.
"Olhem para mim, sou tão fofinho, sou o pináculo da natureza humana, sou o estado primário de qualquer um de vocês, só que melhor porque tenho estas bochechas gordas! Agora passa para cá as tetas que eu tenho fome...".
Um crescido tem que trabalhar para as coisas, ter muita sorte ou (lá está) ter carinha de bebé. Um crescido tem que se conformar com o mundo e os problemas que este tráz, contas, amores... enquanto um bebé pode dizer "eu quero é que vocês vão todos pentear macacos, agora onde está a minha manta do Noddy?"
Se fosse bebé era tudo mais simples. Se fosse bebé era dono do meu mundo.

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Qual o sabor das nuvens?

A que achas que sabem as nuvens? Eu acho que sabem a ti. Tenho que ser sincero, nunca provei uma. Mas tenho a certeza que algo tão bonito como as nuvens só podem saber a algo igualmente bonito... oh André lá estás tu com esse teu lado cortês... ninguém gosta de um lamechas no seculo XXI. Talvez no tempo dos romanticos em que se morria de vergonha literalmente (ehm ehm... tuberculose... ehm ehm...).
Uma vez informaram me que as nuvens sabiam a algodão doce, o tal informador tinha 4 anos mas todos sabemos que quem vê melhor o mundo são as crianças.
Eu cá na minha mistura de criança com 1,80m e romântico digo que as nuvens sabem a algodão doce que, por sua vez, sabe a ti. E agora?! Nunca pensaste tu ser tão doce!
Isto é assim, acho que depois de tanto especular mereço provar. Deixas?
Eu cá nao sei se quero que me beijes nao vá eu apanhar diabetes. Va acho q só um cheirinho nao faz mal, é por propósitos cientificos, e um bocadinho pessoais, quem diz que a ciência do beijo não é divertida?
Assim acho que me vou formar nessa ciência, desde que sejas tu minha professora, pode ser?
Vá agora chega te aqui que tenho falta de açucar no sangue.

domingo, 9 de agosto de 2015

Queres? Queres?

Hoje vi alguem no nosso sitio na praia, aquele onde nos sentámos à noite. Eu sei que nao o proclamei "nosso" em voz alta. Mas como tanta coisa que só existe na minha cabeça, tambem aquele sitio encostado à parede era nosso.
Eramos as duas pessoas mais importantes naquela praia
Que importa se eramos as unicas?
Nao sei para q a praia foi feita, mas para amar foi de certeza.
Nem sei como te deixaste ser destes braços sem sabor, nem sei como te fiz rir visto q o meu sentido de humor está algures entre o Rui Sinel de Cordes e um esquentador.
Eu sempre soube q os anjos nao tinham asas, mas descobri que tem sexo, e é por isso q se chamam anjos...
Tremo só de pensar, fico arrepiado, queres q te mostre a pele, queres?
Assim descubro que ser eterno é facil, basta fazer te rir. E despir te depois... não é muito poético mas é bonito. E nao deixa de ser verdade.
Talvez pensasses nisto no momento em que os lábios deixaram de amar e as mãos deixaram de se tocar.
Ando a ler Chagas a mais. Talvez isto me lembre de ti. Admito q até copiei algumas frases. Sabes, é que ele às vezes diz coisas q eu gostava de ter sido eu a dizer te a ti.
Eu tentei dizer. Talvez encontres quem tas diga melhor que eu.
No fundo eu daria o mundo para te ter, nao fosse ter te, já por si, ter o mundo.

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.