quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

3, 2, 1... Descolagem...

Sempre escrevi tanto por necessidade como por capricho. E sempre escrevi sobre o que queria escrever.
Sobre mim, sobre ela, sobre o mundo, sobre o meu medo irracional de não ser um floco de neve mas ser apenas um "qualquer coisa", como tantos outros "quaisquer coisas" no mundo.
Mas sou um "Major Tom" (para citar o grande Bowie), que tanto se perde nos seus pensamentos e esperanças que acaba por se alienar do mundo. Eu perco me mais na minha mente que nos olhos dela.
Penso a mais de 200 000 km/h sem sair do lugar. Podia fazer da estratosfera casa. Flutuar no infinito, entre o brilho estranho das estrelas e os corpos celestiais. Mas serei sincero, vou preferir sempre os corpos terrestres...

*Terra chama André*

Ah sim, lá estava eu... perdido no universo sem sair da cadeira. Tenho universos dentro de mim. Sou tão grande e sou tanta coisa, sou explorador do irreal e imaginário. Sou páginas de livros por escrever e filmes por fazer. Sou fotografias futuras e melodias atonais. Sou tanta coisa.

*Consegues ouvir?*

Amanhã vou acordar e ser. Apenas ser. Vou viver todas as minhas emoções, vou amar até não poder mais. Amar é estar na estratosfera. Amanhã sou astronauta das sensações. Amanhã voo em direção às estrelas e amo-as. Amanhã não sou Major Tom para me alienar do mundo, amanhã sou um mundo.


*Preparar para aterrar... 5, 4, 3, 2, 1...*



sábado, 9 de janeiro de 2016

Eat, sleep, complain, repeat

As vezes só é preciso mudar. Sentir o peso da mudança. Por mais pequena que seja. A vida é melhor se tiver mudanças. Não. A vida é feita de mudanças. As mudanças fazem a vida valer a pena, mesmo quando só aparecem de tempo a tempo.
Adoro falar da monotonia da vida porque é um tema que me diz tanto. À 8 anos que me levanto às sete e meia da manhã, em dias de semana, almoço ao meio dia, lancho às cinco, janto às oito e durmo às onze. Como posso dizer que o amanhã é um mistério quando posso dizer o que vai acontecer amanhã, ao minuto.
É aborrecido repetir coisas como uma máquina industrial...

Brrrrrr... Beep... *sai produto*... Brrrrr... Beep... *sai produto*

E assim sucessivamente até à eternidade.


Gosto de mudanças e experimentar, o mundo é tão mais que as longas planicies do interior alentejano.
A chave do meu coração são novidades. Tenho necessidade de novos ares, tenho necessidade de novas coisas. Comidas, arte, personalidades.
Prefiro um sitio com personalidade a um sitio de luxo. Em vez de um restaurante com 3 estrelas Michelin e empregados zombie que digam "Bon appetit", prefiro um bar ranhoso à beira-mar, com música ao vivo e empregados com sentido de humor que digam "tá aqui a comida, caralho".

A frase mais comum do meu blog deve ser: quer(o) o mundo. Nunca isso foi mais verídico que agora.
Portanto espera por mim mundo, porque eu vou tomar-te de assalto, e quando o fizer, não vou deixar pedra por virar ou onda por ver.


Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.