domingo, 14 de fevereiro de 2016

Obrigado meus artistas!

Poucos textos me foram tão difíceis escrever como este.

Mais um ano e mais uma gala. Pensariam que o hábito já os teria imunizado da pressão de palco. Mas a vontade de fazer mais e melhor torna-os autênticas canas ao vento. A ansiedade de entrar em palco para despachar a coisa só lhes dá vontade de esmurrar toda a gente.
Ouvem se as pessoas chegar e o burburinho por detrás da cortina, elas querem um espetáculo, eles querem dar-lhes O espetáculo.
Por trás da cortina todo um conjunto de pessoas faz uma oração. "Merda! Merda! Merda!" - acaba assim a oração, dizem que tráz boa sorte aos artistas, quem diria que até ao final da noite se iria repetir esta palavra mais umas tantas vezes.
No fundo aquele conjunto de pessoas, não são só artistas, são amigos, mas são também aquela palavra que usamos quando nos queremos referir a pessoas que nos são tão queridas que nem sabemos o que lhe chamar: família.
Quem diria que um conjunto de personalidades diferentes, fortes, enormes e talentosas se iria juntar para formar um espetáculo que iria marcar a vida de cada um, possivelmente até ao final desta.
Estes ultimos dois parágrafos juntamente com "Foda-se vai começar!" deve ter sido o que passou na mente de cada um daqueles jovens antes da cortina se levantar. O nervosismo tomava conta de nós.
Então e quando a cortina se levantou?
Aí é que eles se revelaram, abriram o coração ao público e não hesitaram. Deram tudo o que tinham no corpo e ainda mais.
Dançaram com corpo e alma, ao som da Beyonce, dos Walk The Moon, da Sia, dos Oh Wonder, da Adele e das Weather Girls. Abriram os seus corações ao som da Amália, do John Mayer, do João Villaret, da Edith Piaf e da Sara Tavares.
O palco era o mundo sem ninguem se não nós. O trabalho de um artista é tão recompensador. Estar alí e fazer o que se gosta, com ou sem risos, com ou sem choros, com ou sem aplausos. Ser nós. E só nós.
Os dedos nas guitarras, as bocas nos microfones, os joelhos no chão. São as melhores sensações partilhadas com as melhores pessoas. E as melhores pessoas não são o publico, oh não...
São eles, aqueles que assistiram ao trabalho que se colocou em cada detalhe, aqueles que se apoiaram mutuamente em todas as alturas.
E não haveria melhores pessoas para partilhar os aplausos. O culminar de tantos meses de trabalho.
"Não é o objetivo o que interessa mais, mas sim o caminho percorrido até lá chegar", e posso dizer que apesar de o objetivo final não poder ter corrido melhor, o caminho percorrido foi o melhor graças a este pessoal.

Obrigado e vos garanto que o caminho conjunto de cada um não acabou aqui, eles irão voltar a cruzar-se.









4 comentários:

  1. que orgulho que tenho em nós <3 que esta coisa que nos une nunca acabe!! é tudo o que eu desejo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acaba, don't worry. Enquanto formos vivos haverá mais galas, talvez não no sentido literal, mas haverá.

      Eliminar
  2. demais!! só quem por lá passa sabe.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, poucos entendem o quão boa é a sensaçao

      Eliminar

Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.