segunda-feira, 28 de março de 2016

Jesus devia ter entrado em coma alcoólico

Às vezes gostava de me atirar de uma janela e não morrer. Atirar me e bater nas pedras da calçada. Com força. Bater e não morrer, apenas sentir a adrenalina da velocidade terminal e o impacto da primeira lei de Newton.
Depois levantava me e ia à minha vida.



O que se faz quando não se sabe o que fazer?
Talvez beber, apanhar uma bebedeira tão grande como a que Jesus devia ter apanhado na ultima ceia (se ele sabia que ia ser preso a seguir ao jantar e havia vinho na mesa porque não aproveitou? Ele até sabia transformar agua em vinho) talvez experimentar daquelas coisas que alucinam, talvez foder daquelas pessoas que não nos dizem nada, ou talvez dormir e sonhar com todos os "talvez" aqui referidos.
Talvez seguir um caminho diferente ao desejado na esperança de um dia encontrar um atalho.


O que se diz quando não se sabe o que dizer?
Quando se ouvem palavras de amor vindas do fundo de um poço. Quando o silêncio sussurra à solidão as palavras mais bonitas que ouves. A resposta é nula, manchada de sangue e pontos de interrogação. Cai se de joelhos e cai se bem, como o cair de um miúdo a jogar à bola. Esfola se os joelhos mas continua se porque tem que se ganhar o jogo, pelo bem da equipa.

Ophelia, you've been on my mind like a drug...




Com tecnologia do Blogger.

About me

Se, por algum lapso de consciência decidires ler mais alguma coisa que se siga a esta apresentação ficas já avisado que, das duas uma, ou vais deprimir ou vais dizer-me assim "fogo, és um triste", se pensares isso eu respondo-te, "não, eu sou feliz, tenho um pai e uma mãe que trabalham e uma irmã que é uma chata do caraças, tenho uma casa e comida na mesa todos os dias, por isso supostamente não tenho motivos para me queixar." Mas eu sempre fui do contra e dado a minha idade e teimosia arranjo sempre motivos para me queixar.